sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Capim Grosso:Começa nesta sexta-feira, 18, o IV Encontro Regional de Radialistas e Comunicadores





Terá início na noite desta sexta-feira, 18 de Novembro, nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores de Capim Grosso, o IV Encontro de Radialistas e Comunicadores de Capim Grosso e região, evento esse de responsabilidade do SINTERP/BA – SINDICATO DOS TRABALHADORES EM RÁDIO, TV E PUBLICIDADE DO ESTADO DA BAHIA – que tem como coordenador, Everaldo Monteiro e na região, Sione Santos que faz parte da Rádio Jaraguar AM
POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A COMUNICAÇÃO:
SEXTA FEIRA (18/11/2016) das 19h30min às 22h00min horas - AUDIÊNCIA PÚBLICA, tratando dos seguintes temas:
> O papel da comunicação na politica;
> O acesso à informação e controle dos gastos públicos;
> A mídia vende tudo.
SÁBADO (19/ 11/2016) das 09h00 às 12h30min horas - MODELO DE CONCESSÃO EXCLUI MOVIMENTOS SOCIAIS, com os seguintes temas:
> O caminho para conseguir uma concessão;
> O Estado tem que garantir diversidade;
> Qual a diferença de Regulação e Controle na Comunicação.
SÁBADO (19/11/2016) das 14h00 às 17h00 horas - Rádio – Jornalismo.
DOMINGO (20/11/2016) das 09h00 às 13h00 – Legislação e formação da profissão da comunicação local e regional.
Os Encontros Regionais promovidos pelo SINTERP/BA não dão direitos ao encaminhamento do Registro Profissional (chamado de DRT) Por: Arnaldo Silva.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Com Trump no poder, mercado prevê corte menor na taxa de juros no Brasil


BRASÍLIA - Os economistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta sexta-feira, 14, passaram a apostar em uma menor redução da taxa de juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para os dias 29 e 30 deste mês.
Até a semana passada, o mercado esperava um corte de 0,50 ponto porcentual na Selic, que está atualmente em 14% ao ano para 13,50% aa. Agora -após a surpresa com a eleição do republicano Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos e possíveis mudanças na política econômica americana com reflexos domésticos -, as estimativas apontam para uma redução de 0,25 p.p., o que deixaria a taxa em 13,75% anuais ao fim de 2016.
Já a taxa básica para o fim de 2017 permaneceu em 10,75% ao ano. Há um mês, a projeção para a Selic ao fim do próximo ano era de 11% aa.
Na última ata do Copom, publicada no dia 25 de outubro, o colegiado voltou a afirmar que eventual intensificação do movimento de corte do juro dependerá da "evolução favorável de fatores". No documento da reunião em que o Banco Central reduziu o juro de 14,25% para 14%, os diretores da instituição argumentam que "a convergência da inflação para a meta em 2017 e 2018 é compatível com uma flexibilização moderada e gradual das condições monetárias".
Câmbio. O documento divulgado pelo Banco Central indicou que a cotação da moeda estará em R$ 3,22 no encerramento de 2016, acima dos R$ 3,20 da projeção da semana anterior. Um mês atrás, estava em R$ 3,25. O câmbio médio de 2016 permaneceu em R$ 3,43 - onde já estava um mês antes.
As projeções não captaram totalmente o movimento da última sexta-feira, quando o Banco Central precisou intervir com força no mercado para segurar a alta do dólar, que chegou a bater na casa dos R$ 3,50. Para frear a explosão do câmbio, a autoridade monetária - que já havia suspendido a oferta de swap cambial reverso na quarta-feira - realizou três leilões de swap cambial tradicional com um montante de US$ 1,702 bilhão em contratos vendidos. Ainda assim, a moeda americana fechou o dia cotada a R$ 3,4053, no maior patamar desde 21 de junho deste ano, quando encerrou o dia vendida R$ 3,4134.
Inflação. O Relatório traz leve mudança para a projeção de inflação em 2016. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) estimado para este ano passou de 6,88% para 6,84%. Há um mês estava em 7,01%. Já o índice para o ano que vem passou de 4,94% para 4,93%. Há quatro semanas apontava 5,04%.
Na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), publicada no dia 25 de outubro, o Banco Central informou que a inflação projetada para 2016 no cenário de referência seguia em 7%. Para 2017, o cenário de referência projetava, de acordo com o BC, inflação em 4,3%, abaixo, portanto, da meta de 4,5%.
No relatório Focus, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, as medianas das projeções para este ano melhoraram, passando de 6,97% para 6,83%. Para 2017, foram de 5,03% para 4,81%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de, respectivamente, 7,02% e 5,13%.
O Relatório não mostrou mudanças nas projeções para os preços administrados em 2016. A mediana das previsões do mercado financeiro para este indicador este ano seguiu em 6,00%.
PIB. O Relatório de Mercado Focus desta semana mostrou uma mudança, para pior, nas projeções para a atividade no País, com recessão maior em 2016 e recuperação mais lenta em 2017. Pelo documento, as estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano indicaram retração de 3,37% ante os 3,31% projetados uma semana atrás e os 3,19% de um mês antes.

FONTE:

Delações à vista: seis meses após troca de governo, Lava Jato e TSE mantêm instabilidade sobre Planalto

"O Cunha vai falaaar, o Moro vai te pegaaar"; com esse canto uma pequena banda de manifestantes recepcionava no aeroporto os políticos que voltavam para Brasília em uma terça-feira, no final de outubro.
A "ameaça" era uma referência a possibilidade de que o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, agora preso, feche um acordo de delação premiada e entregue possíveis provas contra seus ex-colegas para a Operação Lava Jato e o juiz Sergio Moro.
O episódio ilustra um pouco do clima na capital federal, seis meses após a queda da ex-presidente Dilma Rousseff e a posse de Michel Temer, em 12 de maio.
A troca de governo, definitivamente confirmada no final de agosto, por um lado melhorou sensivelmente a relação entre Planalto e Congresso, o que permitiu ao presidente avançar com sua principal proposta - a criação de um teto de vinte anos para conter a expansão dos gastos públicos, que já passou na Câmara e deve receber o aval do Senado em dezembro.
Por outro lado, não foi capaz de encerrar a instabilidade política, já que a incerteza quanto aos próximos capítulos da Lava Jato continua a rondar a Praça dos Três Poderes. Além disso, a pendência de uma ação movida pelo PSDB no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pede a cassação da chapa eleita em 2014 (Dilma-Temer) por supostas irregularidades na campanha é outro foco de risco para o governo.
Getty Images Juiz federal Sérgio Moro Operação Lava Jato pode causar mais insegurança para o governo de Michel Temer 1
Diante disso, têm aumentado nas últimas semanas as especulações sobre uma possível interrupção da administração Temer. Mas, embora essa possibilidade não possa ser totalmente descartada, não parece o cenário mais provável, acredita o cientista político Rafael Cortez, da consultoria Tendências.
Isso porque, explica ele, a Constituição prevê que o presidente não pode sofrer impeachment por fatos anteriores ao seu mandato, o que reduziria os riscos relacionados às delações. Quanto ao TSE, Cortez avalia que o alto custo político de uma nova troca presidencial tende a suspender o desfecho da ação.
Se a chapa for cassada ainda neste ano, teria que ser convocada uma nova eleição direta. Já se for derrubada a partir de janeiro, o Congresso escolheria o próximo presidente. Em ambos os casos, o novo mandatário governaria até 2018.
"O que evita a eventual cassação da chapa é justamente essa dimensão informal das relações da Justiça eleitoral com o mundo político. Porque em boa medida o que vai prevalecer é o custo político muito elevado de uma eventual nova transição presidencial em meio a um cenário de crise econômica e de incerteza em relação a quem vai assumir", observa Cortez.
"Acho que o efeito principal dessas duas agendas (Lava Jato e TSE) é um pouco limitar o capital político do Temer e, por consequência, limitar a governabilidade, especialmente aos olhos da agenda econômica", acrescenta Cortez, destacando os desafios que o governo ainda pode enfrentar para aprovar propostas polêmicas, como a reforma da Previdência.
Avaliação semelhante tem a cientista política Andréa Freitas, professora da Unicamp. Ele observa que a negociação com o Congresso envolve promessas (políticas e eleitorais) por parte do presidente - eventuais incertezas sobre a estabilidade do governo dificultam esse processo.
Presidente da República, Michel Temer © Getty Images Presidente da República, Michel Temer
"Quando você tem um governo ameaçado do ponto de vista de legitimidade, por várias frentes, pela Lava Jato, pelo TSE, as propostas dele ficam menos críveis e isso dificulta os processos de negociação", afirma.
Mesmo que pareça improvável hoje a cassação da chapa pela Justiça eleitoral, "enquanto a ameaça estiver pairando, ela pode ser efetivada, e isso torna o presidente um ator mais fraco", ressalta ainda a professora.
Nesta semana, o caso voltou aos holofotes devido a uma matéria do jornal Estado de S. Paulo com a imagem de um cheque de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez, destinado ao diretório nacional do PMDB e nominal à campanha do então candidato a vice-presidente Temer, em 10 de julho de 2014.
Originalmente, Otávio Azevedo, ex-presidente da empreiteira, havia dito que o valor fora destinado ao PT e que era acerto de propina, o que foi questionado pela defesa de Dilma.
O PMDB negou qualquer irregularidade e disse que a doação foi legal.
O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Herman Benjamin, relator do processo de cassação, afirmou, no início desse mês, que está dando encaminhamento "estritamente técnico" ao caso.
"Vocês podem ver no meu gabinete no TSE, hoje deve haver 29 processos. Não estou com um oceano de processos e neste estou dando uma agilidade maior. Eu acho que processos eleitorais, por natureza, têm que ser rápidos", disse a jornalistas, no VI Enaje, Encontro Nacional de Juízes Estaduais, realizado em Porto Seguro (BA).
Quando Benjamin liberar seu voto, ainda dependerá da decisão do ministro Gilmar Mendes, atual presidente do TSE, marcar uma data para levar o caso a julgamento.
FONTE:

Mulher e filha de Cunha não escapam de condenação

 

Investigadores da Lava Jato dizem que dificilmente Claudia Cruz e Danielle Cunha, mulher e filha de Eduardo Cunha, escapam de uma condenação, mas a pena pode ser tornozeleita eletrônica caso ele faça delação premiada.
As duas são acusadas de movimentar dinheiro de propina recebido pelo deputado cassado.

Comunicação:SINTERP/BA promove encontro de radialistas e comunicadores em Capim Grosso



O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão TV e de Publicidade no Estado da Bahia (SINTERP), com 59 anos de fundado e relevantes serviços prestados a categoria em todo o estado, realizará nos dias 18,19 e 20 de Novembro, em Capim Grosso, na Câmara Municipal de Vereadores, sob a coordenação de Everaldo Santos Monteiro, e de do Diretor Sindical Sione Santos, o IV encontro de radialistas e comunicadores de Capim Grosso e região.
Com o objetivo de capacitar os seus representados, o SINTERP, vem transformado encontros como esse em um grande espaço de debates e capacitação, com discussão de temas dos mais diversos em prol de uma categoria que precisa todos os dias de conhecimento e profissionalismo para enfrentar os desafios dos microfones, dentre outras ferramentas de trabalho.

Para o citado encontro, a coordenação do SINTERP/BA, na pessoa de Sione Santos, começa a disponibilizar através do ARNALDOSILVARADIALISTA.COM as primeiras informações sobre a programação:
Sexta-feira, 18, das 19h30 às 22h – Audiência pública, com a abordagem dos seguintes temas:
- O papel da comunicação na política;
- O acesso à informação e controle dos gastos públicos;
- A mídia vende tudo.
No sábado, 19, das 09 da manhã ao meio dia, o encontro terá sequência com mais um debate que terá como tema: Modelo de concessão exclui movimentos sociais e os seguintes subtemas:
- O caminho para conseguir uma concessão;
- O estado tem que garantir diversidade;
- Qual a diferença de regulação e controle na comunicação;
Sábado, 19, das 14 às 17 horas, informações sobre rádio/jornalismo;
Sábado, 19, das 19h30min às 20h, confraternização com Tenda Eletrônica e DJ;
Domingo, 20, das 09 da manhã ao meio dia, conclusão dos trabalhos, tendo como foco a Legislação e formação da profissão de radialista.
Palestrantes já confirmados: Patrícia Tosta, jornalista, radialista e professora de comunicação; Renata Meieli, jornalista, escritora e presidente do FNDC - Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação; Luciano Nogueira, proprietário da Faculdade Face e responsável pelo curso de RÁDIO E TV em Valença, estará apresentado proposta do curso através da FCG – Faculdade Capim Grosso – com vista ao DRT.
A coordenação do evento informa que outros palestrantes estão sendo convidados para o complemento do evento que este ano terá taxa de inscrição no valor de R$ 50 reais, tendo como objetivo contribuir para a realização do evento.
Mais informações com Sione Santos, 74 – 8836-4896 (WhatsApp).

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Jovens da Escolinha de Atletismo Flamengo no Ranking dos Melhores do Norte Nordeste, na Categoria Sub 18, para Atletas nascidos entre 1999 e 2001

                                     escolinha
A CBAT – Confederação Brasileira de Atletismo , divulgou , no dia 27 de setembro , a lista definitiva dos 08 melhores atletas nascidos até 1999 , em provas de pista e campo , nesta temporada , entre todos os nove estados do Nordeste e os 05 estados do norte.
Nela figuram os nomes dos jovens atletas da AASF – Associação Atlética Simõesfilhense , revelados na ESCOLINHA DE ATLETISMO FLAMENGO , localizada no povoado de Flamengo , pertencente a Jaguarari , cidade que fica á 450 kms de Salvador.
No naipe feminino Railane Batista da Silva , atleta BOLSA ESPORTE da SUDESB – Superintendência dos Esportes na Bahia , de apenas 16 anos , figura nos rankings dos 1.500 metros como segunda colocada e lidera o 2.000 metros com obstáculos , enquanto que Erivânia da Silva Cruz , atleta BOLSA ESPORTE da SUDESB – Superintendência dos Esportes na Bahia , também de 16 anos , figura nos rankings dos 1.500 metros e 3.000 metros rasos como terceira colocação. Ticiane Souza Bonfim , de apenas 15 anos , é a segunda melhor na prova dos 2.000 metros com obstáculos. Sua irmã , Náviny de Souza Bonfim , BOLSA ATLETA em Campo Formoso , de 17 anos , é a quarta colocada nos 400 e segunda nos 800 metros rasos , Saionara da Silva de Jesus , de 15 anos , é a quarta no heptatlo , oitava no lançamento do disco e sexta no lançamento do dardo , enquanto que Priscila Lima Almeida , de 17 anos atleta filiada à AFAC – Associação Feirense de Atletas Corredores , que reside no povoado faz dois anos , figura no ranking dos 200 como sétima colocada , 4ª nos 400 metros rasos e primeira no lançamento do dardo.
No naipe masculino o atleta de 15 anos Alessandro Ferreira , BOLSA ATLETA , medalhista de bronze nos Jogos Escolares da Juventude na prova dos 1.000 metros rasos (2:44:65) em Fortaleza 12 a 14 anos , em 2015 , lidera o ranking dos 2.000 metros com obstáculos e quarto nos 3.000 metros rasos. Lucas Silva Ferreira , de 16 anos , é o 4º nos 2.000 metros com obstáculos e 6º nos 1.500 metros rasos , enquanto que Eduardo Brito Duarte , de 15 anos é o 5º nos 2.000 metros com obstáculos .
Além destes nove atletas , de JAGUARARI , acima citados , o atleta de Camaçari , que compete pela equipe SEDEL , Lucas Lima Benta é o oitavo colocado no ranking do lançamento do disco.
Eles já foram convocados oficialmente pela FBA – Federação Bahiana de Atletismo e viajam nesta quinta-feira , 06 de outubro para a bela capital do Rio Grande do Norte,
Todas as despesas de viagem e alimentação são custeadas pela FBA , que juntamente com a Confederação Brasileira de Atletismo , Federação Norteriograndense de Atletismo e a CAIXA , patrocinadora do atletismo brasileiro , realizam a importante competição do calendário do atletismo brasileiro.
SAIBA MAIS EM:
http://www.cbat.org.br/competicoes/nortenordeste_sub18/2016/default.asp

Quer praticar um esporte? Conheça antes os cuidados para evitar as lesões mais comuns

A prática incorreta pode acarretar dores e distensões musculares, principalmente se não houver aquecimento e alongamento adequados
     


esportes

O fim do inverno e a chegada das estações mais quentes estimulam a prática de exercícios, seja ao ar livre nos finais de semana, ou uma rotina frequente de atividade física nas academias ou clubes. Independentemente de qual seja o objetivo – emagrecer ou ter mais qualidade de vida –, a prática de qualquer esporte ou atividade requer informações e preparo prévio para evitar lesões ou machucados.
Segundo o ortopedista, médico do esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho, Dr. Ricardo Nahas, uma das principais preocupações dos especialistas em movimento, seja medicina do esporte, ortopedia ou fisiatras, é o perigo de lesões. “A atividade física previne uma série de doenças, ajuda no controle do peso e promove o bem-estar, mas a prática incorreta pode levar a dores e distensões musculares, se não houver cuidados prévios, e também aquecimento e alongamento adequados”, ressalta.
Nem sempre o corpo dá sinais de que tem algum problema, por isso é importante fazer uma avaliação médica antes de começar qualquer atividade física. “É preciso investigar se não há nenhuma alteração que possa se manifestar com a prática, sobretudo se o paciente já sente alguma dor”, complementa Nahas.
Esportes x lesões
As lesões provenientes de esportes cujas disputas envolvem contato físico entre os jogadores, como futebol, basquete e handebol, são diferentes das ocasionadas por outras modalidades praticadas individualmente, já que o contato físico aumenta o risco de lesão. As mais comuns são as entorses, também chamadas de torções, contusões, distensões, estiramentos e contraturas musculares.*RMA Comunicação